Notícia

Em Caicó, servidora aposentada enfrenta dificuldades financeiras em razão dos salários atrasados

POR SINSP/RN, 03/09/2019

Dona Lúcia é aposentada pelo Governo do Rio Grande do Norte e uma das diversas trabalhadoras espalhadas por todo o estado que sofrem por causa dos salários atrasados. Hipertensa, residente em Caicó e sem comida em casa, a idosa está com as contas atrasadas e sem perspectiva de melhorias:

"Eu estou doente, com água e luz atrasada. Ontem fui comprar remédio e eu não tinha com o que comprar. Passei a semana chorando, comprei a medicação fiado. Tô devendo muito. Para alguns R$ 250, para outros R$ 300, outros R$ 400, por causa do salário atrasado. Minha casa tá praticamente sem nada. Eu já tinha 10 anos de INSS e trabalhei no estado durante 27 anos. Adoeci muito. Nunca pensei passar por uma situação como essa, humilhante, como eu tô passando hoje. Eu não faço nada pelo SUS porque o SUS não ajuda. É tudo pago, consulta, exame, vão fazer os exames lá em casa, porque meu marido tem 92 anos. Ele também é hipertenso, não podemos ficar sem medicação. Botando o salário em dia eu pago minhas contas e posso até fazer a feita", disse, emocionada.

A ex-auxiliar de serviços gerais passou mal momentos antes da Assembleia geral realizada pelo Sindicato dos Servidores Públicos da Administração Direta, em Caicó. A situação difícil emocionou a mulher, desamparada pelo estado. Como ela, outras servidoras também reclamaram da situação:

"Eu tenho amigas minhas que deram o sangue pela educação e hoje os filhos vieram de outros estados buscá-las para morar em outros estados devido essa situação caótica que o RN está fazendo com a gente. Eu acho humilhante. Trabalhei 37 anos. Muitas vezes eu e minhas amigas íamos trabalhar doentes, mas não temos uma falta. O salário é nosso, é um direito nosso porque nós trabalhamos. A gente não tá pedindo favor a governo nenhum, é um direito nosso, precisamos do nosso salário, que está atrasado. Robinson deixou atrasado, mas agora é uma dívida do estado, e nós não temos nada a ver com isso. Minha colega não tem alimento na casa dela. Ela é hipertensa, precisa de um tratamento contínuo e está sem remédio há 15 dias. Promessas há muitas, mas cadê a atitude?" Fora dívidas que nós fizemos lá atrás, de alimento, de água, de luz, de farmácia", desabafa Socorro.

Quando perguntada sobre qual recado tem para a governadora Fátima Bezerra, é enfática:

"Senhora governadora, te peço diante de Deus que a senhora tenha compaixão e misericórdia dos aposetados do RN, porque no passado o gestor nos tratou como lixão do RN, e que isso não se repita mais uma vez", disse.

Segundo a presidenta do SINSP, Janeayre Souto, o Governo do Estado não sinaliza e não tem nenhuma projeção de colocar os salários atrasados dos servidores em dia. Apesar de pagar dentro do mês, o estado ainda deve duas folhas de salário atrasados (13º e dezembro de 2018), além de parte de novembro de 2018.

"É uma rotina nos depararmos com isso. É uma rotina as igrejas fazerem campanhas de cesta básica. E os servidores não precisam viver de cesta básica, porque trabalharam pra ter seu salários. Os servidores estão vendendo suas mesas,  televisão, geladeira e voltando pra casa de parente porque não tem como sobreviver, como pagar suas contas, como comprar comida para sua casa."

 

MAIS:

https://marcosdantas.com/aposentados-cobram-salarios-atrasados-de-2018-e-alegam-que-ja-enfrentam-serias-dificuldades-financeiras/